Seguidores

Mostrando postagens com marcador pm acusado. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pm acusado. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Justiça decreta prisão de 6 PMs suspeitos de participar de chacina


A Justiça decretou nesta quinta-feira (24) a prisão temporária de seis policiais militares suspeitos de participar da primeira chacina deste ano em São Paulo. A chacina ocorreu em 4 de janeiro. Sete pessoas morreram e duas ficaram feridas no bairro do Campo Limpo, na Zona Sul de São Paulo. Entre os mortos, está o DJ Lah.
Os cinco homens e uma mulher já cumpriam prisão administrativa por determinação da Corregedoria. Segundo a investigação, a perícia comprovou que três cápsulas encontradas no local do crime pertencem às armas de policiais militares do 37º Batalhão da PM, que cuida da região onde aconteceu o crime.
O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também descobriu que um dos policiais suspeitos forjou um boletim de ocorrência onde dizia que a arma dele, usada no crime, havia sumido.
Fonte: G1

sábado, 17 de dezembro de 2011

Policiais militares são suspeitos de envolvimento na morte de casal

Corpos de advogada e um homem foram encontrados dentro de uma casa no distrito de Ouro Preto


Um capitão e um sargento da Polícia Militar (PM) estão detidos suspeitos de envolvimento na morte de um casal em Cachoeira do Campo, distrito de Ouro Preto, na Região Central do estado. De acordo com a Polícia Civil, outros dois homens citados no vídeo, moradores de Ouro Preto e Belo Horizonte, também foram detidos e encaminhados a Ouro Preto.

Segundo o assessor de comunicação da PM, tenente-coronel Alberto Luiz Alves, os corpos de uma advogada e de um homem foram encontrados dentro de casa. “A PM foi acionada e tomou as providências necessárias. Surgiu um vídeo no dia seguinte, onde a advogada relatava que se alguma coisa acontecesse, quatro ou mais pessoas estariam envolvidas. O Ministério Público teve acesso a esse relato, onde um capitão e um sargento que atuavam em Ouro Preto são citados”, explica o militar.Continue lendo no Estado de Minas:>>>>>>>>