Seguidores

Mostrando postagens com marcador pm ferido. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pm ferido. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Cai a máscara do "RIO PACIFICADO"


A Polícia Militar realiza uma grande operação no Morro do Cajueiro, em Madureira, Subúrbio do Rio, na manhã desta quarta-feira (8). A ação é realizada após integrantes de uma facção terem invadido a comunidade na noite de terça (7). Na ocasião, dois policiais militares foram baleados.
Uma mulher solicitou socorro aos policiais após ter sido atingida por uma possível bala perdida na mão durante a entrada dos agentes na comunidade. Não há informações sobre seu estado de saúde. Continue lendo no G1

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A anarquia será "lei"...


Vivemos na era dos direitos e tudo é muito novo. A imprensa perdida com a velocidade das redes sociais, que põe a prova inclusive a "verdade" mostrada na grande mídia. Por outro lado as polícias também estão perdidas sobre como proceder nas manifestações. Já não basta mais reprimir...é preciso separar o joio do trigo, e hoje as polícias ainda não fazem essa diferenciação. Por isso são atacadas pela imprensa, que ora assopra, ora elogia, numa relação ébria de ambas as partes. Os cidadãos de bem também se vêem perdidos, justamente por serem confundidos com os vândalos. E os vândalos será que são vândalos mesmo? Quando eles atacam prédios públicos é porque não conseguem atacar seus governantes; esse mesmo exemplo serve para a polícia, vista como se fosse o governador. Os muros vão cair, a anarquia será "LEI", e as redes sociais a pólvora para tudo isso acontecer de maneira acelerada...A economia do jeito que está, uma hora pára de crescer...é gente demais pra comer...é gente demais pra nascer...isso era prosa e está virando verso...tudo é mutante. Algo de novo está para acontecer, e como diria a música: "deus por favor apareça...Na televisão"...

UBERABA: PM É ROUBADO DENTRO DE ÔNIBUS E LEVA TIRO NA BOCA

Um dos suspeitos de participar de um assalto a ônibus na BR-050, na madrugada deste domingo (27), foi detido nesta segunda-feira (28), no Bairro Jardim Maracanã, em Uberaba. O jovem, de 21 anos, foi surpreendido pelos policiais militares durante a madrugada e tentou reagir à prisão. Os outros dois suspeitos de participação no crime, que já foram identificados, ainda não foram encontrados.
De acordo com a PM, o centro de operações recebeu uma denúncia anônima de que dois dos três suspeitos de cometer o crime estavam em uma casa na Rua Rodrigo Tiveron. Quando os policiais chegaram ao local, fizeram a abordagem do jovem que tentou reagir, mas foi contido. Outra pessoa que estava na casa pulou os muros do imóvel e fugiu. A PM informou que o policial militar de Igarapava o reconheceu como autor do roubo e do disparo.
O crime

Segundo a PM, o ônibus tinha saído de Ribeirão Preto.  Um policial militar e os três homens que se passaram por passageiros embarcaram em Igarapava com destino a Uberaba junto com o policial. Os suspeitos anunciaram o assalto na BR-050. Durante o crime, o militar foi algemado nos fundos do veículo e levou um tiro na boca.

O trio fez um arrastão e levaram dinheiro e celulares dos passageiros. Eram seis passageiros no momento do assalto, segundo a PM. Os criminosos exigiram que o motorista seguisse em baixa velocidade para que eles pudessem saltar do ônibus antes de entrar em Uberaba. Os criminosos, segundo a polícia, ainda tentaram atirar no motorista, mas a arma falhou.
O policial militar, lotado no pelotão de Igarapava, foi encaminhado por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) onde passou por cirurgia e permanece internado.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

“Meu primeiro pensamento foi a segurança da população” (versão do PM ferido em São Paulo)

"Eu entendo a manifestação, mas usar de violência é errado"
Vignoli mostra o ferimento que resultou em cinco pontos na cabeça

Na noite de terça-feira (11), durante uma manifestação pela diminuição da tarifa de ônibus e metrôs na região central da Capital, um policial militar fazia a guarda do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), na Praça Doutor João Mendes, quando passou pelo que considera “uma das situações mais difíceis de sua carreira”.
Wanderlei Paulo Vignoli entrou na Polícia Militar do Estado de São Paulo, nos anos 90, com um ideal: proteger a população, garantindo os direitos de todos. Com 42 anos de idade, sendo 20 deles dedicados à população paulista, o soldado viu seu lema ser colocado em prática durante o protesto de ontem.
“Meu trabalho é garantir a segurança não só dos funcionários do prédio, mas também das pessoas que trabalham ou passam pelas proximidades, além do próprio patrimônio”, conta.
E era o que fazia quando, por volta das 19 horas, viu um jovem tentar escalar uma das paredes para pichar. Na tentativa de impedi-lo, o PM foi subitamente cercado por vários manifestantes, que passaram a agredi-lo com pedras e pedaços de pau.
“Do nada, surgiram milhares de pessoas e, enquanto eu tentava impedir uma pichação, fui alvejado por várias pedradas na cabeça. Fiquei um pouco zonzo e caí, e um jornalista [Giba Bergamim Jr., do jornal Folha de SP] que viu a ação tentou impedir as pessoas”, relata o policial, lembrando do momento em que pelo menos 10 pessoas atiram objetos ou o agrediam.
Natural de Santo Anastácio, cidade quase 600 quilômetros distante do ocorrido, Vignoli disse nunca ter enfrentado nada parecido. “Casos diários como furtos e roubos nós estamos acostumados, mas é a primeira vez que passo por algo assim”.
Disciplina e rigor
Ainda cercado pelos manifestantes, o policial pegou sua arma e apontou para cima, gritando para se afastarem. “Em nenhum momento pensei em atirar contra eles. Minha obrigação, antes de tudo, é com a vida e a segurança da população”, falou Vignoli.
Mesmo em desvantagem e pondo sua própria segurança em risco, o soldado manteve o controle. Segundo Vignoli, isso só foi possível graças às instruções da PM. “Recebemos treinamentos constantes na polícia, onde aprendemos a usar a arma só em último caso. Além do mais, mesmo entre os manifestantes, há quem não queria brigar, além de haver vítimas ali no meio”, relata.
Ao ser questionado se, em tese, poderia ter atirado em legítima defesa, o policial completa: “Eu pensei primeiro nas pessoas que estavam ali, e não em mim. Temos que evitar os crimes protegendo a população. Sempre que possível, devemos reter o agressor sem o uso da arma”, relata.
De acordo com Vignoli, ele ficou menos de dois minutos nessa situação, até que outros policiais do patrulhamento do Tribunal o ajudaram. O soldado foi levado à Assistência Médica Ambulatorial (AMA), na região da Sé, e encaminhado ao Hospital da Polícia Militar, onde permaneceu internado com traumatismo craniano.
"Eu também uso metrô e ônibus"
Para o soldado, a manifestação é plausível, mas não seus métodos. "A manifestação é algo previsto e permitido na Constituição Brasileira. Eu entendo o porquê das passeatas, mas não a violência delas", explicou.
Vignoli usa metrô para ir e voltar do trabalho. A gratuidade da passagem é garantida apenas quando ele está de farda, em serviço. Nos momentos de folga, o policial paga a passagem normalmente. "Se vou sair, eu pego ônibus, pego metrô, pego trem. E pago a passagem como qualquer cidadão", disse.
Presos em flagrante
Após a ação, por volta das 19h30, os outros policiais conseguiram identificar e deter o editor E.D.S., de 26 anos, e o artista D.S.F., 20, como alguns dos agressores. Os suspeitos continuavam atirando pedras nos PMs e tentavam pichar a parede do TJ.
Os homens foram conduzidos ao 1º Distrito Policial (Sé) e autuados, em flagrante, por lesão corporal, dano qualificado e desacato. Como a fiança, arbitrada em três mil reais, não foi paga, os suspeitos permaneceram presos.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

PM FERIDO É PROTEGIDO POR MANIFESTANTES DO PASSE LIVRE, não podemos generalizar...

      Para os que tentam criminalizar os movimentos sociais e projetar uma cena de guerra entre a polícia (braço armado do Estado) e os cidadãos que buscam seus direitos, via protestos, ainda que alguns se excedam durante esses movimentos, é importante que saibamos que ambos lados são oprimidos, são trabalhadores, e o principal e óbvio: há humanidade entre eles. Por vezes um lado acusa o outro de agressão ou de revide. Uma cena é emblemática e mostra que a massa além de não ser burra, teve compaixão. O PM acuado, com a cabeça ferida, foi protegido pela maioria dos manifestantes, que se quisessem roubá-lo ou matá-lo, não teria obstáculo nenhum. Clique aqui e assista matéria e o vídeo do PM ferido sendo protegido pelos manifestantes do Passe Livre
  Se por um lado os manifestantes tiveram compaixão, por outro vemos o quanto houve falha no controle do tumulto.


Repercussão internacional, jornal El pais

Não podemos, repito, criminalizar os movimentos sociais. É claro que houve excesso, é claro que ninguém quer ver o seu patrimônio depredado, nem o seu direito de ir e vir impedido. Mas, na verdade sabemos que o único culpado por isso tudo é o Estado que não dá condições dignas de transporte (clique e assista o desrespeito do Estado), (clique e veja mais desrespeito), (mais desrespeito). Se o Estado não faz o papel dele que é fiscalizar as empresas, penalizá-las, cassar concessões pelos maus serviços prestados, e o Estado na maioria das vezes é promíscuo e cúmplice desse modelo falido, justamente porque não irá fiscalizar quem eventualmente lhe financiou as campanhas eleitorais. Daí temos esse modelo absurdo! Acho até que a população demorou demais para reagir diante de tamanho descaso por parte das autoridades constituídas. Somos pessoas que erram, portanto, macular toda a força policial é injusto assim como criminalizr todo o movimento social também é absurdo.N

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Criminosos explodem caixa eletrônico em Estrela do Sul, MG. Um PM foi baleado

Um terminal de caixa eletrônico foi alvo dos criminosos na madrugada desta quarta-feira (23), em Estrela do Sul, no Alto Paranaíba. Segundo a Polícia Militar (PM), três suspeitos, dois homens e uma mulher, entraram em uma agencia bancária, que fica no Centro da cidade, e explodiram um dos terminais.


Ainda conforme a polícia, os suspeitos estavam em um carro branco, mas fora da agência outro veículo dava cobertura. Ao saírem do banco os criminosos se depararam com uma equipe da PM e dispararam vários tiros contra eles. Um dos militares foi atingido nas duas mãos e precisou ser socorrido.
Os suspeitos abandonaram o carro branco em que estavam e fugiram no outro veículo. As polícias das cidades vizinhas montaram um cerco para prendê-los, mas ninguém foi localizado. A quantia levada pelos suspeitos não foi divulgada.
G1/Triângulo Mineiro

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Caminhonete roubada bate em viatura durante perseguição



Após perseguição policial, uma caminhonete S10 que foi roubada na última sexta-feira (20) em um comércio no bairro São Jorge, bateu de frente com uma viatura da Polícia Militar, na noite desta segunda-feira (23). A ocorrência, registrada no bairro Campo Alegre, terminou no Anel Viário Ayrton Sena, BR-050, sentido à Unitri, com um soldado da PM bastante ferido, os veículos destruídos e os bandidos foragidos.

O militar ferido, soldado Chaves, que é de Araguari, estava trabalhando na ocorrência e precisou ser levado para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) com bastante sangramento na cabeça e no rosto.

Segundo o Sargento Ronaldo, da PM, o dono da S10 roubada foi até a sede da PM dizendo ter visto alguém rodando com seu veículo no bairro Campo Alegre. A polícia realizou cerco e bloqueio e, ao deparar com o carro, o autor ao volante evadiu em alta velocidade, pela BR-050, mas acabou colidindo com a viatura da PM.

“Quando houve o acidente, o autor desceu disparando tiros contra os militares, os quais revidaram também. Agora seguem as buscas pelo bandido”, disse. Dentro do carro havia uma bolsa contendo vários documentos, por meio dos quais a polícia acredita que será possível chegar aos autores.

fonte: UIPI

Policial da Rota confunde colega com bandido e atira em tenente da PM



R7

quarta-feira, 21 de março de 2012

Cabo é baleado durante tentativa de roubo no bairro Santa Tereza

Um cabo do 1º Batalhão da Polícia Militar de Belo Horizonte de 47 anos foi baleado na noite dessa terça-feira (20) no bairro Santa Tereza, na região Leste da capital mineira. De acordo com a Polícia Militar, o policial foi atingido por um tiro de raspão em um dos braços depois de reagir a uma tentativa de roubo.


Segundo o cabo relatou aos militares que registraram a ocorrência, o fato ocorreu na rua Grafito, onde ele trafegava em um Fiat Palio na companhia da namorada, uma vez que estava de folga.

O policial teve o seu carro emparelhado por um Gol de cor preta, de onde desceu dois passageiros. Um dos criminosos estava armado e anunciou o roubo. Porém, no momento em que os suspeitos pediram para o militar ir para o banco de trás, ele sacou a sua arma e atirou contra os suspeitos, que revidaram. Com a troca de tiros, o cabo foi atingido.

Depois da ação criminosa, os três suspeitos fugiram em alta velocidade e, até a manhã desta quarta-feira (21), ainda não haviam sido identificados ou presos. O revólver calibre 38 usado no crime foi encontrado embaixo de um dos carros estacionados na rua Grafito. A PM acredita que o trio não sabia que a vítima era policial e que a intenção dele era apenas roubar o carro do militar.

O cabo foi encaminhado ao Hospital Pronto Socorro João XXIII e não corre risco de morte.


OTEMPO

segunda-feira, 5 de março de 2012

PREFEITO ESMAGA MÃO DE MILITAR NO INTERIOR DE MINAS


O prefeito da cidade de Lagoa Dourada, no Campo das Vertentes, Antônio Carlos Chaves de Resende esmagou a mão de um policial militar ao fechar a porta de um carro envolvido em uma ocorrência de perturbação do sossego. O soldado lotado na 190ª Cia foi impedido de realizar a ocorrência após interferência do prefeito da cidade. 


Por volta das 23h de sábado(03/03), policiais militares foram chamados por moradores que estariam incomodados com o barulho de fogos de artifícios. Os artefatos estavam sendo lançados por indivíduos dentro de um carro que circulava pelas ruas da cidade. Ao chegar no local, os policias encontraram dentro do veículo várias caixas de foguetes. Após a apreensão do carro e dos indivíduos, sendo o motorista inabilitado, os militares foram surpreendidos com a chegada do prefeito que disse que a ação estava sob seu consentimento. E, mais, Antônio Carlos Chaves de Resende disse, ainda, que o lançamento dos foguetes continuaria, tendo apoio de amigos e de outros moradores que se aglomeraram no local. 
Naquele momento, o soldado, que estava com as mãos na coluna da porta direita do carro, teve os dedos esmagados, com o fechamento brusco da porta do veículo, feito pelo prefeito. O policial foi levado para o hospital onde realizou exames de raio-X. 
A movimentação não só impediu que os policiais terminassem a ocorrência, por causa obstrução do prefeito, como também, permitiu que os autores da infração evadissem do local, sob ameaça do prefeito da cidade de Lagoa Dourada.
REDS 2012 000459813-001

domingo, 4 de março de 2012

Policial morre em capotamento no centro de SP; presa foge

O policial civil João Garcia de Souza, 50, morreu em um acidente de trânsito por volta da 0h30 deste domingo. A batida aconteceu em frente ao Mercado Municipal, no cruzamento do viaduto Mercúrio com a avenida do Estado, no centro de São Paulo. Ele e outro policial faziam o transporte de três presos.

Segundo a PM, o veículo da polícia foi atingido por outro carro e acabou capotando.
Dois policiais ficaram presos às ferragens e foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros. Um dos agentes foi encaminhado ao pronto-socorro do Hospital Santa Isabel. Souza morreu no local.

Uma presa fugiu após o acidente. Os outros dois foram medicados, encaminhados ao pronto-socorro Vergueiro e levados de volta à 1ª Central de Flagrantes.

De acordo com o boletim de ocorrência, um teste de bafômetro comprovou que o motorista do veículo envolvido no acidente estava embriagado. Ele foi indiciado sob suspeita de lesão corporal e homicídio doloso (quando há intenção de matar).

O caso foi registrado no 8º DP (Brás).

SOLDADOS DA PMMG SÃO BALEADOS EM ITUIUTABA

Fonte: Blog da Renata

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

PM diz que major baleado em SP emprestou coletes a equipe de TV

O major Sandro Moretti Silva Andrade forneceu dois coletes a profissionais da TV Bandeirantes durante as negociações do assalto com reféns que terminou com a morte do PM, na noite de ontem, na zona sul de São Paulo.

De acordo com a corporação, o PM saiu para trabalhar sem o colete e, já no local onde ocorria o assalto, pediu para que buscassem mais equipamentos. Para a PM, o major preferiu dar a proteção aos profissionais por entender que a imprensa poderia auxiliar nas negociações.

Andrade foi baleado no braço esquerdo, e o tiro atingiu a caixa torácica. Segundo a PM, ele poderia ter sido baleado mesmo com o colete --já que o equipamento não protege os braços.

Andrade deixa três filhos e uma ficha de 51 elogios na PM, em 26 anos de carreira.
A TV Bandeirantes afirma que sua equipe estava designada para cobrir o trânsito na região, quando percebeu a tentativa de assalto. Segundo a rede, seus funcionários foram convocados pela polícia para colaborar com as negociações, já que o sequestrador exigia a presença da imprensa --e a equipe recebeu o equipamento de proteção da polícia.

A TV diz ainda que "suas equipes de reportagem usam coletes de proteção sempre que são destacadas para cobrir uma operação de risco".

TIROTEIO

A tentativa de assalto também deixou um criminoso morto. Ele atirou contra os policiais durante as negociações para a soltura dos reféns e tentou fugir.


GIBA BERGAMIN JR
DE SÃO PAULO

sábado, 3 de dezembro de 2011

Luta por dignidade: PM ferido depende de vaquinha para ter cadeira de rodas


Herculano Barreto Filho/extra.globo.com

O soldado Alexsandro Fávaro, de 31 anos, era tido como policial exemplar. Um apaixonado no combate ao crime, como os colegas de farda costumam dizer. Há três meses, o combate mudou de terreno. Atingido no pescoço num tiroteio entre policiais da UPP Fallet/Fogueteiro e traficantes no Morro do Fogueteiro, no Rio Comprido, ele faz sessões de fisioterapia no Hospital da Polícia Militar (HPM) para recuperar os movimentos dos membros. E conta com a luta de outros policiais militares.

Como o major Hélio, que lançou uma campanha no site cfappmerj.org para pedir colaborações de R$ 1, que ajudem na aquisição de uma cadeira de rodas de R$ 2.500, específica para tetraplégicos. “A esposa continua assistindo e apoiando o marido e está impossibilitada de trabalhar, pois o caso dele ainda inspira cuidados”, diz um dos trechos do texto. Segundo o comunicado, a PM não possui a cadeira de rodas e a aquisição pode levar até seis meses. O problema é que o soldado Fávaro terá alta em breve.

O major Hélio não é o único que busca mobilização para ajudar no caso. De acordo com o capitão Felipe Magalhães, comandante da UPP Fallet/Fogueteiro, o grupo de policiais que se formou com Fávaro também faz contribuições para ajudá-lo. Amigo do soldado, o capitão foi instrutor no seu curso de formação. E comandante no período em que Fávaro atuou na UPP.

— Ele era um excelente policial. Adorado por todos, porque era um profissional que sabia a hora de combater, mas também sabia o momento certo para prestar serviço aos moradores.

Continue lendo no Extra.globo.com:>>>>>>>>>

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

UBERABA - Policial é baleado em fogo cruzado com quadrilha de ladrões






















As polícias militares de Minas Gerais e São Paulo montaram uma verdadeira operação de guerra para capturar quadrilha especializada em roubo de veículos de luxo.

 Os militares contaram com apoio do helicóptero Águia da polícia paulista. Houve troca de tiros e um policial militar de Uberaba foi atingido com um tiro no peito. Um veículo utilizado pelos bandidos foi apreendido, juntamente com uma arma e equipamentos de comunicação. Até o momento nenhum marginal foi preso, mas o veículo roubado foi recuperado.

A operação começou por volta de 12h30 de ontem, logo após o 4º Batalhão da PM receber informações de que uma caminhonete Chevrolet S-10, de cor prata, com placas DGQ-2868/Santa Cruz das Palmeiras (SP), furtada em Iraí de Minas, estaria na região de Uberaba, mais precisamente na rodovia MGT-464, próximo a Conquista.

Iniciado o rastreamento, uma equipe de militares se deparou com uma S-10, com as mesmas características da que foi roubada, e um VW Parati, de cor prata, com placas de Uberaba, onde três indivíduos em atitude suspeita estavam em seu interior. Ao ser feita a abordagem, os homens saíram do carro atirando contra os policiais. Houve uma intensa troca de tiros, onde um projétil atingiu o peito do soldado Braga. Em seguida, os marginais fugiram na caminhonete roubada, sentido Igarapava.

Já a guarnição com o militar ferido retornou para Uberaba a fim de prestar socorro ao soldado. Uma unidade de resgate do Corpo de Bombeiros foi acionada e aguardava às margens da BR-050 a chegada do policial ferido. Após prestar os primeiros atendimentos, o militar foi encaminhado ao pronto-socorro do Hospital de Clínicas da UFTM e posteriormente transferido para o Hospital São Marcos.

Viaturas da Rotam, Rocca e Tático Móvel se deslocaram para Igarapava, para auxiliar no rastreamento dos assaltantes que fugiram pelas estradas vicinais da zona rural de Igarapava. A caminhonete só foi encontrada após a chegada do helicóptero Águia, que a localizou abandonada em local de difícil acesso no meio de um canavial.

Até o momento nenhum assaltante foi preso, porém as buscas continuam. Ao verificar a placa e chassi da Parati utilizada no crime, ficou constatado ser roubada e as placas eram de outro veículo. O estado de saúde do militar baleado é considerado estável e ele não corre risco de morte.
JMONLINE