Seguidores

Mostrando postagens com marcador pm morto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador pm morto. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Nove policiais militares são mortos por mês no Rio, ("welcome Olimpíadas")


Última vítima foi soldado do BPM de Irajá, em Guadalupe

MARCELLO VICTOR E VANIA CUNHA

Rio - A morte do soldado Anderson Senna Freire, na madrugada desta quarta-feira, em Guadalupe, fez o Rio chegar a um índice alarmante: em cada um dos últimos 11 meses, em média, nove policiais militares foram assassinados — 85 em dias de folga e 18 em serviço, de janeiro até as 21h desta quarta. Em 2013, 111 agentes morreram assassinados. 

Lotado no 41º BPM (Irajá), Anderson foi baleado na cabeça durante um ataque de bandidos. O colega dele, o soldado Bruno de Moraes, foi ferido no ombro e está internado no Hospital Estadual Albert Schweitzer , em Realengo. 
PMs são baleados em Niterói e São Gonçalo
De acordo com o Serviço Reservado do batalhão, os dois PMs encerrariam o serviço à 1h e retornariam para a unidade. Quando passavam pela Avenida Brasil, foram atacados por ocupantes de um Fiat Punto prata. Segundo testemunhas, os bandidos desceram do veículo disparando. Pelo menos três tiros perfuraram o vidro dianteiro e a lataria da viatura. Surpreendidos, os policiais não tiveram tempo de reagir e acabaram baleados. Continue lendo no ODia >>>

domingo, 17 de agosto de 2014

ACIDENTE FATAL COM SARGENTO DE UBERLÂNDIA





 O Sr. 2° Sgt PM Marcos Patrício N. da Silva Reis, MASP 127.471-1, que era lotado na 91ª Cia do 17° BPM e que faleceu junto com a sogra, no caminho de Centralina - MG. 

  Não é porque morreu, era um homem alto astral, de bem com a vida, músico, gente fina e excelente profissional. Nós o perdemos, mas, com certeza o céu está mais feliz! Vá com deus amigo!

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Morre policial baleado na cabeça durante tiroteio no Rio (somos campeões da insegurança...)

Soldado Fábio foi atingido por um tiro no rosto durante tiroteio no Alemão
Foto:  Reprodução
Rio - O policial militar Fábio Gomes da Silva, de 30 anos, morreu às 6h30 no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde estava internado após levar um tiro na cabeça durante tiroteio na UPP Fazendinha, no Complexo do Alemão, na Zona Norte, na noite deste domingo. Ele deu entrada na unidade de saúde em estado grave. A informação foi confirmada pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e pela direção do Hospital Getúlio Vargas.

O soldado Fábio estava há dois anos na PM e faria 31 anos na próxima quinta-feira, dia 26. O policiamento na região segue reforçado nesta manhã por militares de outras UPPs, do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs e pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).
De acordo com a PM, o soldado foi baleado no rosto por um tiro de pistola quando enquanto participava com outros PMs da UPP Fazendinha de um patrulhamento na região conhecida como Beco do Desabamento, por volta das 20h30. A bala ficou alojada na cabeça.

Dois menores também foram mortos, outro foi ferido e um segundo PM baleado em pelo menos dois confrontos na noite deste domingo no Complexo do Alemão. A polícia afirma que os menores têm envolvimento com o tráfico de drogas.

Na localidade do Areal, no Morro do Alemão, dois adolescentes de 16 e 17 anos morreram em confronto com a PM. A polícia diz que eles participavam da quadrilha que ainda atua no Complexo do Alemão. Nas redes sociais, amigos desmentem a informação da PM e afirmam que os jovens não tinham envolvimento com o crime organizado.

No mesmo incidente, um PM da UPP local foi ferido à bala na mão. Um jovem de 17 anos, que estava em uma lan house, foi baleado no ombro. Os dois foram medicados no HGV e liberados.

O caso foi registrao na 45ª DP (Alemão). A polícia investiga se os dois tiroteios estão relacionados.

Morte de PMs em 2014 

Com a morte do soldado Fábio Gomes da Silva, chega a 137 o número de policiais baleados no Estado do Rio, de janeiro até a data de hoje. Destes, 86 estavam de serviço.

sábado, 17 de maio de 2014

Soldado da PM MG, à paisana, é morto a tiros ao impedir assalto em Belo Horizonte

Do R7
Um soldado da Polícia Militar foi assassinado na noite desta sexta-feira (16) ao tentar impedir um assalto na avenida Fleming, no bairro Ouro Preto, na região na Pampulha, em Belo Horizonte. André Luiz Lucas Neves, de 27 anos, será velado neste sábado (17) às 17h no Cemitério da Saudade, na região leste da capital mineira, e o enterro será no domingo (18), às 9h, no mesmo local. Um dos três bandidos envolvidos na ocorrência foram presos, o segundo morreu e outro está foragido.
O militar estava à paisana no local quando percebeu que o trio tentava assaltar uma pessoa, se identificou como policial e entrou em uma luta corporal com os ladrões. Ele levou dois tiros, na cabeça e nas costas, durante a briga. O PM chegou a ser levado ao Hospital Odilon Behrens por uma viatura da polícia, mas faleceu.  
Durante as buscas pela região, os militares prenderam José Henrique da Silva Bento, de 30 anos, que tentava fugir a pé. O suspeito chegou a sacar um revólver calibre 38, mas foi imobilizado pelos PMs.
************************************************************************************************************
O Soldado André Luiz Lucas Neves, 27, será velado no Cemitério da Saudade à partir das 17 horas deste sábado (17/05). O enterro será amanhã, Domingo (18/05), às 9 horas.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

TENENTE DA PM É ASSASSINADO EM DUQUE DE CAXIAS

Um tenente da polícia militar do Rio de Janeiro, identificado como tenente João, lotado no 15°BPM em Duque de Caxias, foi assassinado quando chegava em casa, após bandidos tentarem roubar seu carro. O policial reagiu e acabou sendo baleado, mas, não resistiu aos ferimentos. As informações são da jornalista Roberta Trindade.


Pois bem, amigos... mais um policial militar assassinado covardemente por bandidos... e o que será feito por parte das autoridades e da imprensa? Será que no proximo domingo este policial terá um programa de televisão inteiro em sua homenagem? Sera que as autoridades vão fazer o mesmo esforço que fez no caso do dançarino DG e do Amarildo, para encontrar e punir os culpados? Sera que só os policiais merecem morrer assassinados? Nossa solidariedade à família de mais este policial assassinado covardemente aqui no Rio de Janeiro.


quinta-feira, 1 de maio de 2014

Pessoas dentro da farda


Snap 2014-04-30 at 22.54.43RIO DE JANEIRO - A 13 de março último, o aspirante a oficial da PM, Leidson Alves, 27 anos, foi morto com um tiro na cabeça por traficantes durante um patrulhamento no morro do Alemão. Foi o 19º PM morto neste ano no Rio, sendo 13 em emboscadas parecidas –alguns quando estavam de folga. A 7 de abril, ao voltar para casa, outro PM, Lucas Barreto, 23, foi capturado em São Gonçalo e levado para uma favela. Deram-lhe oito tiros, a maioria nas pernas, e o jogaram num matagal.
Desde então, não sei a quantas anda a estatística de PMs cariocas mortos ou feridos –não em combate, como de praxe no ofício, mas pelas costas, à traição. Nem sempre os jornais registram que o policial assassinado era jovem, recém-casado, filho exemplar ou pai de filhos. Artistas da Globo não vão a seus enterros. Não se sabe de missas por suas almas e, na verdade, ninguém está interessado. É como se não houvesse uma pessoa dentro da farda.
Nas últimas “manifestações” no Rio, elementos brandiram cartazes dizendo “Fora UPP” e “UPP assassina”. É fácil protestar contra as Unidades de Polícia Pacificadora. Quando um policial comete um excesso ou mata alguém, pode enfrentar processo, ser expulso da polícia ou ir preso. Mas ainda não se viu nenhum cartaz dizendo “Fora traficantes”. E, no entanto, contra a violência destes, não há recurso –a comunidade tem de aceitar calada os tapas na cara, o estupro de suas filhas e as execuções sumárias de quem eles considerem suspeitos.
É difícil acreditar que essa hostilidade à polícia parta de gente de bem nas comunidades. Os números mostram que, com as UPPs, as mortes diminuíram, os serviços aumentaram e sua economia cresceu.
Tais dados são lesivos, isto, sim, aos traficantes, às milícias, aos que vivem das migalhas do crime e a políticos que, para sobreviver, precisam que as UPPs fracassem.

domingo, 23 de março de 2014

Famílias de policiais mortos pelo PCC não recebem indenização

CLIQUE E ASSISTA NO JORNAL DO SBT

Desde 2012 mais de cem policias forma assassinados pelo PCC quando estavam de folga. Por conta disso, foi criada uma lei que garante indenização as famílias desses profissionais. Mas o problema, é que ná prática as coisas não acontecem como deveriam. A reportagem é de Flávia Travassos. 

sábado, 15 de março de 2014

"NINGUÉM VAI SAIR NAS RUAS E PROTESTAR CONTRA A MORTE DE POLICIAIS" (chega de Garotinhos)

CLIQUE AQUI E ASSISTA NA TV GLOBO

MG: SUBTENENTE MORRE AO REAGIR NUMA TENTATIVA DE ASSALTO

Tentativa de assalto a lotérica deixa policial e criminoso feridos

Segundo polícia, estado de saúde de policial é estável (Foto: Reprodução EPTV)
Um policial e dois assaltantes foram baleados durante uma troca de tiros após uma tentativa de assalto a uma casa lotérica no Centro de Pouso Alegre (MG) na tarde desta sexta-feira (14). Segundo a polícia, duas pessoas chegaram até a lotérica e anunciaram o assalto. Ao perceber a ação, os policiais se aproximaram e trocaram tiros com os criminosos.

Quando o assaltante saía da lotérica, ele foi até o comparsa que estava do lado de fora em uma motocicleta. Segundo testemunhas, eles tiveram dificuldades para ligar o veículo. Foi quando um policial que estava armado, à paisana, dentro da lotérica, aproveitou a oportunidade para tentar rendê-los. Foi aí que começou o tiroteio.
O subtenente Gabriel Machado Alvarenga, de 49 anos, que trabalha em Silvianópolis (MG), estava à paisana. Ele levou um tiro na barriga. Ele foi socorrido às pressas para o Hospital Samuel Libânio e seu estado é considerado estável. Ele será submetido a uma cirurgia. Um dos criminosos, que estava dentro da lotérica, fugiu em uma moto que foi abandonada no bairro da Saúde. Ele também teria sido atingido durante o tiroteio.
Testemunhas disseram que outro carro aguardava o assaltante para a fuga no local em que ele abandonou a motocicleta. Dois suspeitos que davam apoio à ação foram presos no final da tarde. As armas que estavam com eles também foram apreendidas.
G1
Morreu na madrugada deste sábado (15/03), por volta das 4 da manhã, o Subtenente Gabriel, Comandante da Polícia Militar de Silvianópolis lotado no 20° BPM. O militar levou um tiro no estômago. Ele chegou a ser operado para retirada do projétil mas faleceu. O militar reagiu a um assalto na lotérica na tarde de sexta-feira (14/03) em Pouso Alegre. 
FONTE: BLOG DO CABO JULIO

NO RIO "PACIFICADO" 19 POLICIAIS MILITARES FORAM ASSASSINADOS EM 2014

PM morre em tentativa de assalto em Duque de Caxias, RJ


Um policial militar morreu em uma tentativa de assalto na Rodovia Washington Luís, na Altura de Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na madrugada deste sábado (15). Segundo informações do 15º Batalhão da Polícia Militar (Duque de Caxias), cerca de oito homens tentavam arrombar um caixa eletrônico com um maçarico quando foram abordados pela PM em torno de 01h30.
Ainda de acordo com o batalhão, os suspeitos atiraram contra o cabo Alexandre da Costa Pereira, de 35 anos, que chegou a ser levado para o Hospital de Clínicas Saracuruna, também em Duque de Caxias. O batalhão não informou se houve troca de tiros e se algum suspeito ficou ferido.
Policiais do 15º BPM informaram também que o policial estava havia cerca de oito anos na corporação. O caso foi registrado na 62º DP (Imbariê) e encaminhado para a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF).
Agora o número de Policiais Militares assassinados no RJ em 2014 chega a 19, lembrando que estamos na 11ª semana do ano.

Comentário extraído da página FACEBOOK.COM/SOSPMERJ

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Enterrado sargento morto em combate em Uberaba





Na manhã desta quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014, policiais militares, autoridades, populares e familiares se despediram do amigo e companheiro militar Sargento Regivaldo Alves Ferreira. A comoção tomou conta de todos os presentes por lembrarem de um companheiro de farda amigo, alegre e extramente profissional. O Comandante Geral da Polícia Militar de Minas Gerais, Coronel Márcio Martins Santana, comandou as últimas despedidas ao militar ao lado do Comandante Regional, Coronel Laércio dos Reis Gomes, do Comandante do 4º BPM, Ten. Cel. Waldimir Soares Ferreira, do Prefeito de Uberaba, Paulo Piau, e de vários militares que deram o último adeus ao Sargento Regivaldo com todas as honras militares por ter ao lango de tantos anos realizado bons e relevantes serviços prestados à comunidade. 



Fotos do jornalista Sérgio Teixeira.


Comento: Infelizmente mais um irmão de farda se foi e que deus o abrace na sua misericórdia infinita. Parabéns pela atitude Senhor Comandante Geral PMMG Coronel Santana. O senhor sempre foi um homem de tropa!!!

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

MORREU UM CINEGRAFISTA, POLICIAIS MORREM TODOS OS DIAS...

Foto: É uma pena que tenha que morrer um repórter cinematográfico para que parte da imprensa sinta a mísera parte, a dor que a família militar sente diuturnamente ao ver seus pais, irmãos, filhos policiais serem assassinatos TODOS OS DIAS nas cidades brasileiras. O assassinato físico, o assassinato moral, que as vezes os levam às raias do autoextermínio. Por isso é necessário não o corporativismo, mas, a imparcialidade, tanto para o policial quanto para a imprensa. Apedrejar alguém ou a instituição apenas pela audiência é o mesmo que atingir um cinegrafista pelas costas, covardemente, desqualificando inclusive a causa do que eles chamavam até então de "protesto"...Marcos Marcos MaracanãÉ uma pena que tenha que morrer um repórter cinematográfico para que parte da imprensa sinta a mísera parte, a dor que a família militar sente diuturnamente ao ver seus pais, irmãos, filhos policiais serem assassinatos TODOS OS DIAS nas cidades brasileiras. O assassinato físico, o assassinato moral, que as vezes os levam às raias do autoextermínio. Por isso é necessário não o corporativismo, mas, a imparcialidade, tanto para o policial quanto para a imprensa. Apedrejar alguém ou a instituição apenas pela audiência é o mesmo que atingir um cinegrafista pelas costas, covardemente, desqualificando inclusive a causa do que eles chamavam até então de "protesto"...Inclusive seria oportuno que as associações das polícias militares do Rio exigissem direito de resposta. Haja visto que no dia do fato vários órgãos da imprensa culparam os militares de ter jogado a bomba que matou o cinegrafista.

domingo, 9 de fevereiro de 2014

A estranha seletividade das ONGs dos direitos humanos


Fonte: GLOBO
É isso o mais revoltante de tudo. Bandidos matam inocentes ou policiais em serviço, e ninguém das ONGs dos direitos humanos aparece. Um bandido é vítima de alguma coisa, todos saem da toca e causam uma celeuma. Por que tanta seletividade? Por que esta preferência escandalosa pelos marginais?
Vejam esse caso da mãe da policial morta na UPP do morro do Alemão, no Rio. Perguntem se algum sociólogo foi lá consolar a pobre mulher. Perguntem se o senador Eduardo Suplicy fez discursos sobre as atrocidades humanas. Nada. Nem uma só palavra. Como diz a reportagem do jornal:
Aos 27 anos, a soldado da PM Alda Rafael Castilho era o orgulho da família e a realização de um sonho. Era a primeira de um lar humilde da Baixada Fluminense que estava cursando o ensino superior (fazia psicologia) e tinha uma carreira promissora pela frente. No último domingo, ela morreu com um tiro, durante um ataque de bandidos à sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Parque Proletário, no Complexo do Alemão. Se a dor da perda é devastadora, a falta de indignação da sociedade tem abalado ainda mais a família. Principalmente a mãe da PM, a empregada doméstica Maria Rosalina Rafael Castilho, de 59 anos. Ela se queixa de não ter sido procurada por nenhuma ONG ligada aos direitos humanos. 
— Se eu fosse mãe de bandido, as ONGs teriam me procurado imediatamente. Parece que eles (os bandidos) têm mais valor. Mas a minha filha era uma cidadã honesta, que saía todo dia às 4h30m para trabalhar, estudava e sonhava em ser psicóloga da PM — reclama Maria Rosalina.
O coordenador do grupo AfroReggae, José Júnior, que sempre denunciou abusos cometidos por policiais, também reclamou da falta de indignação.
— Por ela ser uma policial, ninguém se indignou. Mas, se ela não fosse policial e estivesse num bar em frente, a repercussão do caso teria sido outra — diz José Júnior. — Não vi as pessoas das ONGs falarem da morte da policial. Ninguém da área dos direitos humanos se manifestou.
Num post de grande repercussão na internet, ele escreveu: “Só vi a polícia e o secretário de Segurança se manifestando. Todos nós nos calamos. Eu acho que ninguém merece morrer. A nossa passividade em aceitar essas baixas é vergonhosa”.
É esse o cerne da questão! Ninguém aguenta mais este duplo padrão, esse foco prioritário nos bandidos. Ninguém suporta mais a esquerda defendendo bandidos e justificando o crime com base na pobreza. Ninguém tolera mais a visão de “coitadismo” quando meliantes vão em cana, enquanto o indivíduo trabalhador e, sim, também pobre rala feito condenado para ter de viver com medo de marginais e vagabundos.
Até quando? Até quando esses irresponsáveis defensores de bandidos vão levar adiante essa visão distorcida de mundo, que apenas alimenta o sentimento de impunidade? Até quando esse pessoal vai fomentar a revolta na população ordeira, a ponto de fazê-la aplaudir “justiceiros” e “vingadores”? Até quando? Até o circo pegar fogo de vez? Até a anomia tomar conta geral da sociedade e esgarçar todas as nossas instituições?
Que a mãe de Alda saiba que não está só. Se as ONGs dos “direitos humanos” não se manifestaram em solidariedade à sua dor, milhões de brasileiros decentes compartilham dela, indignam-se e se revoltam com essa situação absurda. Não colocamos máscaras de criminosos para posar de esquerda caviar chique, e não condenamos a polícia como instituição.
Ao contrário! Sabemos como a vida dessa brava gente é dura, e como se não bastasse, eles precisam aturar essas ONGs e os artistas e “intelectuais” cuspindo diariamente em seu trabalho, aplaudindo os marginais que colocam em risco suas vidas. Tudo isso, claro, regado muitas vezes à cocaína que financia o traficante, justamente aquele que ameaça a vida desses policiais.
Portanto, Maria Rosalina, registro aqui meus pêsames pela sua perda, e tenho certeza de que falo em nome de milhões de brasileiros honestos, que ainda valorizam o trabalho sério e as pessoas que se dedicam a enfrentar os vagabundos e marginais dentro do Estado Democrático de Direito.
Rodrigo Constantino/blog rodrigo-constantino

domingo, 2 de fevereiro de 2014

RIO: Mais dois policiais são assassinados na favela "pacificada" (welcome)



Dois policiais militares (um homem e uma mulher) da UPP do Parque Proletário foram baleados, na tarde deste domingo, durante um intenso confronto entre homens armados com fuzis e os militares, próximo a Praça do Cruzeiro. Os dois foram levados para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas a soldado não resistiu. O outro PM continua internado. A mulher foi atingida no abdômen e o homem, na perna. Ainda segundo moradores, homens do Batalhão de Choque (BPChoque) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) estão no local reforçando o policiamento. Um moradorador flagrou o momento em que policiais militares da unidade, por volta de 15h30, chegam a uma localidade conhecida como Praça São Lucas para socorrer os colegas. Eles estacionam a viatura e atiram para o alto. Logo depois, colocam os dois PMs feridos no banco de trás do carro e saem correndo.

SIGA EM PAZ, SOLDADO ALDA RAFAEL CASTILHO 

PMERJ DE LUTO


O  PM Marcelo Gilliard  que foi baleado na perna no ataque a UPP do Parque Proletário também não resistiu aos ferimentos.