Seguidores

Mostrando postagens com marcador ufu. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ufu. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Professor de Direito da UFU é condenado por improbidade administrativa


A Justiça Federal condenou um professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) por improbidade administrativa e o sentenciou, em primeira instância, a devolver aos cofres da União parte dos ganhos como docente da instituição. O juiz federal Luiz Humberto Ferreira entendeu que o servidor descumpriu o regime de dedicação exclusiva à universidade.


De acordo com a ação proposta pelo Ministério Público Federal (MPF), o professor Arley Cesar Felipe dava aulas em duas outras faculdades particulares e atuava como advogado, o que, no entender do procurador Frederico Pellucci, inviabilizaria o trabalho de 40 horas semanais, em dois turnos, na UFU. Por causa disso, o docente tornou indevido o recebimento da gratificação dada a quem opta pelo regime exclusivo e que aumenta em 50% o valor do salário.

O MPF não ficou satisfeito com a decisão e apresentou um recurso pedindo a ampliação da sentença, com multa e perda do cargo na UFU. Arley Cesar disse à reportagem do CORREIO de Uberlândia que considera a decisão inconstitucional e vai recorrer. “A dedicação exclusiva não foi recepcionada pela constituição”, afirmou.

domingo, 24 de junho de 2012

Universidade Federal de Uberlândia cancela vestibular: suspeita de vazamento de prova...


O reitor da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Alfredo Júlio Neto, comunicou nesta manhã o cancelamento do vestibular, que teria hoje o segundo dia de provas em sua segunda fase.
Ainda nesta manhã, o reitor da instituição dará uma entrevista coletiva na sede da Polícia Federal para explicar os motivos do cancelamento.
A informação preliminar é que houve vazamento das provas.

Mais informações em breve.

domingo, 2 de outubro de 2011

Professor da UFU perde o cargo por improbidade administrativa

O professor do curso de direito da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Renato Costa Dias teve a perda do cargo decretada pela Justiça Federal, em primeira instancia, na tarde desta sexta-feira (30). O pedido de exoneração foi feito pelo Ministério Público Federal (MPF) e o processo corre desde 2006, quando o MPF instaurou procedimento para investigar as reclamações das frequentes faltas do docente.

O MPF apurou que Costa Dias faltou por meses seguidos, durante dois anos, às aulas que deveria ministrar nas turmas do 4º ano do curso. A Universidade entrou com um pedido de afastamento em 2008, porém o professor encaminhou uma proposta de reposição da aula e justificou as faltas sendo motivos de saúde. Embora tenha se proposto, conforme apurou o MPF, Costa Dias continuou faltando.

O professor foi afastado do curso de direito em 2010, com a ação de improbidade administrativa em andamento, porém começou a dar aulas na Faculdade de Administração da UFU. Conforme o juiz responsável pela sentença, Gustavo Sorato, Dias sequer entregou os diários de classe referentes ao ano de 2007. “Por não dar as aulas e receber o salário, foi considerado que o professor teve um enriquecimento ilícito”, disse. Ele também terá de devolver o que recebeu indevidamente.

Procurado pela reportagem, Renato Dias disse não ter conhecimento da decisão judicial. “A história que tive conhecimento foi de uma denuncia, foi procedimento administrativo que virou ação judicial. A partir daí não tive mais noção”, disse. O docente ainda disse que irá se informar e ver “o que pode ser feito”, disse. O reitor da UFU, Alfredo Julio estava em Brasília e não também tinha conhecimento sobre o caso.

O juiz Gustavo Sorato disse que o processo ainda cabe recurso. “Ele pode recorrer nos próximos 15 dias. Caso contrário perderá o cargo”, disse.
 
Repórter: Renata Tavares
Correio de Uberlândia