Seguidores

Mostrando postagens com marcador universidades em greve. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador universidades em greve. Mostrar todas as postagens

sábado, 2 de junho de 2012

DILMA "EXPLICA" PORQUE MAIS DE 50 UNIVERSIDADES ESTÃO DE GREVE



Fonte: Youtube.compor theEmersonHirata

Esse discurso foi feito na época em que a Dilma era candidata a presidência.

Obviamente que o titulo do vídeo é uma figura de linguagem. 
Povo brasileiro, não podemos esquecer das promessas feitas.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Crise na educação: 30 UNIVERSIDADES FEDERAIS ESTÃO EM GREVE

porrra
Do total de 59 universidades federais do Brasil, mais da metade iniciou greve por tempo indeterminado a partir da última quinta-feira. Segundo a Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior (Andes), professores de 30 instituições de educação (28 universidades e dois institutos) declararam oficialmente a paralisação das atividades. A previsão é de que mais universidades entrem em greve na semana que vem.
Entre as reivindicações, estão a reestruturação da carreira da categoria e as condições precárias de trabalho, atribuídas à falta de estrutura nas universidades. No Brasil, são 64 seções sindicais de 59 universidades federais ligadas ao Andes.
De acordo com Aloisio Porto, do Comando de Greve da Andes, o atual plano de carreiras não permite um crescimento satisfatório do professor ao longo da carreira. “Hoje para chegar no teto da carreira ele levaria quase 30 anos”. De acordo com o dirigente sindical, foram feitas mais de dez reuniões com o Ministério do Planejamento para revisão dos planos, mas não houve avanço na negociação. Assembleias marcadas para amanhã e para o início da próxima semana devem confirmar a adesão de professores de outras instituições à paralisação, segundo Porto.
O Ministério da Educação (MEC) informou, por meio de nota, que “reafirma sua confiança no diálogo e no zelo pelo regime de normalidade das atividades dos campus universitários federais”. O governo ressalta que o aumento de 4% negociado no ano passado com os sindicatos já está garantido por medida provisória assinada no dia 11 de maio. O aumento será retroativo a março, conforme previsto no acordo firmado com as entidades.
“Com relação ao plano de carreira, a negociação prevê sua aplicação em 2013. Os recursos devem ser definidos na LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) até agosto deste ano, o que significa que temos tempo. As negociações entre o Ministério do Planejamento e as representações sindicais seguem abertas”, explicou o MEC.
Veja a lista de instituições com seus respectivos campi que aderiram à greve:


1 – Universidade Federal do Amazonas (Ufam)

2 – Universidade Federal de Rondônia (Unir)
3 – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
4 – Universidade Federal do Pará (UFPA) – Campi Central e Marabá

5 – Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)
6 – Universidade Federal do Amapá (UNIFAP)
7 – Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
8 – Universidade Federal do Piauí (UFPI)
9 – Universidade Federal do Semi-Árido (UFERSA) – Campus Mossoró

10 – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)- Campi Central, Patos e Cajazeiras

11 – Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
12 – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
13 – Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
14 – Universidade Federal de Sergipe (UFS)
15 – Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
16 – Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
17 – Universidade Federal de Viçosa (UFV)
18 – Universidade Federal de Lavras (UFLA)
19 – Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)
20 – Universidade Federal de São João Del Rey (UFSJ)
21 – Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)
22 – Universidade Federal do Paraná (UFPR)
23 – Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
24 – Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)- Campi Central e Rondonópolis

25 – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

26 – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

27 – Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

28 – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

29 – Instituto Federal do Piauí
30 – Instituto Federal de Minas Gerais


Agência Brasil

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Professores de algumas federais podem entrar de greve dia 25/08

            Professores da UFU - Universidade Federal de Uberlândia-MG, decidem nesta terça 23/08 se entrarão em greve por melhores salários, melhorias na previdência e saúde. O movimento é nacional, e conta com a participação de outros seis estados. O governo teve a cara de pau de oferecer 4% de aumento, a ser pago em março de 2012.

            Lembrando que os técnicos da UFU já estão paralisados há mais de 30 dias.

           Os professores acusam o governo de usar a crise internacional como a grande desculpa, para não conceder aumentos aos professores. Nunca é demais lembrar, que no início de 2011, a mesma classe política se auto-reajustou em 62%. Alguns senadores, inclusive, ganham super salários, acima do teto constitucional de 26 mil.

            Os professores federais deveriam se unir aos estaduais, (especialmente os de Minas, que reivindicam o piso nacional), ao pessoal da saúde e aos policiais e bombeiros pela PEC 300, a criação do piso nacional dos policiais e bombeiros.

               Anastácio/editor do blog